Como uma estrela na terra toda criança é especial

Criança O filme “como uma estrela na terra toda criança é especial”, mostra a realidade sofrida de uma criança que tem dificuldades de aprendizagem, a dislexia, distúrbio que afeta a capacidade de ler e escrever. Na escola, professores, colegas e na família, Ishaan era visto como, burro, retardado, preguiçoso.

A professora gritava e colocava de castigo a aula toda, pois o aluno não conseguia ler a poesia, os colegas riam dele, em casa os pais ficavam irritados com as notas, e batiam no menino. Ele se tornava agressivo pois vivia em seu mundo sozinho sem ninguém para ajuda-lo. Os pais resolveram colocar o garoto em um colégio interno, lá os professores eram rigorosos e davam palmatorias em Ishaan, pois acreditavam que ele não estava prestando atenção na aula por isso não acertava nada.

O menino estava desmotivado e triste, foi então que chegou um professor novo e mudou a realidade daquele garoto que tinha em seus olhos um pedido de socorro. O professor fez um trabalho especial focado em sua dificuldade de aprendizagem, suas aulas eram diversificadas e tinha bastante alegria em sua matéria preferida, Artes, onde era muito habilidoso. Aquela criança só precisava ser aceito, precisava de motivação, atenção e amor.

No Brasil, lidar com problemas de dificuldade de aprendizagem é muito precário. Dar o diagnostico de uma criança com algum problema de aprendizagem ou necessidades especiais não é tarefa fácil. Precisa- se investir em profissionais capacitados, pedagogos, orientadores educacionais, psicólogos, todos trabalhando juntos, acompanhando esse aluno.

Muitas vezes a demanda é grande, o professor está sobrecarregado, a escola deve dar suporte aos pais e alunos. Só com um bom acompanhamento do aluno é possível levar o problema para os pais, um acompanhamento familiar dos pais na escola para entender que precisam aceitar seu filho, também é importante. A sociedade também ser conscientizada de que existe essa realidade, e que mesmo assim, a criança possui habilidades e potencial, só precisam de aceitação.

A escola deve trabalhar na sala de aula a questão de aceitar o outro, mostrar os problemas, compartilhar experiências, para que elas expulsem esses preconceitos antigos e que estão impregnados na sociedade.

O professor, a escola, a família e a sociedade trabalhando juntos para lidar e aceitar as diferenças, caminhando para um mundo melhor e com uma educação de qualidade.

Autor: Luciane Mendes Santos Ferreira 6º Periodo Pedagogia – Opet

Anúncios